domingo, 13 de abril de 2014

O Segredo é Voltar o Primeiro Amor


Texto Base: Apocalipse 1.17-20; 2.1-6

“E eu, quando vi, caí a seus pés como morto; e ele pós sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não temas; Eu sou o primeiro e o último; Sou Aquele que vive. Estive morto, mas agora estou vivo para todo o sempre. E tenho as chaves da morte e do inferno. Escreve as coisas que tens visto, e as que são, e as que depois destas hão de acontecer; O mistério das sete estrelas, que viste na minha destra, e dos sete castiçais de ouro. As sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete castiçais, que viste, são as sete igrejas.. (Ap 1.17-20)

Jesus deu uma ordem para João enquanto este estava na Ilha de Patmos em um momento de grande sofrimento: registrar em um livro, tudo o que ele estava vendo, vivendo e tudo o que estava sendo revelado do que iria acontecer. Deixe tudo registrado em um livro. Muitas coisas que já estão acontecendo, porém, tem coisas para o futuro que nós como igreja do Senhor, não devemos ver porque já fomos arrebatados. Temos que estar dentro do arrebatamento. Quando o arrebatamento acontecer, temos que ouvir a trombeta soar.  Temos que ter a certeza de nossa salvação. Porque muitas das coisas que estão escritas no livro do Apocalipse não é para nós.

O Senhor nos levará antes da grande trribulação. ("E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias." [Mateus 24:22]).
 “Ao anjo da igreja em Éfeso escreve: Estas coisas diz Aquele que conserva na mão direita as sete estrelas e que anda no meio dos sete candelabros de ouro:  Conheço as tuas obras, tanto o teu trabalho como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos;  e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste esmorecer. Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu candelabro, se não te arrependeres. Tens, porém, isto ao seu favor: que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio....”.  (Ap 2.1-6)
De início Jesus elogiou a igreja em Éfeso:
“Conheço as tuas obras. Tenho contemplado seu árduo trabalho e a sua perseverança; sei que você não tolera o pecado entre os membros de sua Igreja….Você tem sofrido por mim com perseverança sem desistir” .

Jesus reconheceu todo o dinamismo daqueles membros religiosos. No início eles eram ativos, determinados, produtivos: “conheço as tuas obras”. Aquela igreja tinha começado bem, mas com o tempo perdeu o que lhe deu o conceito de desejável: O AMOR.
Como você está fazendo a obra do Senhor? Será que Jesus pode te elogiar neste momento?
Saiba que nada podemos esconder de Jesus; “Conheço as tuas obras" Ele disse. Jesus está ciente não só de tudo o que fazemos; mas, de como estamos fazendo. Tudo o que fazemos está sendo observado por Ele. Ele lê o nosso coração, a nossa mente e conhece cada intuito. Ele está no meio de nós, igreja! Ele anda no meio dos candeeiros de ouro; Ele anda no meio da igreja.

Estamos vivendo um tempo difícil! Não é nada fácil se manter focado à luz da Palavra de Deus. O pecado tem dominado o mundo, mas, Jesus tem contemplado  o nosso esforço para conservarmos puros diante de tanta imoralidade. Vem as lutas, as perseguições no trabalho, na família e no próprio ministério. Mas nada disto poderá esfriar o amor que sentimos pelo Senhor Jesus.  Ao perder este amor, a igreja  de Efésios foi advertida pelo Senhor Jesus:
"Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor". (v4).
A igreja era dinâmica, árdua em trabalho, zelosa na disciplina, mas seu amor por Cristo tinha diminuído, tinha esfriado, já não era o mesmo. Havia uma coisa errada e muito grave na vida espiritual daquela igreja. O trabalhar tornou-se mecânico, não havia mais paixão, não havia mais motivação certa.

Talvez você não esteja mais vivendo esta chama dentro de você. Você já não está com o Senhor como deveria estar; Ele já não é tudo na sua vida, vai para a igreja só por medo de perder alguma coisa ou até mesmo a salvação. O Senhor estava triste com o estado espiritual dos cristãos daquela igreja. E, assim como os cristãos de Éfeso, hoje muitos também estão abandonando o primeiro amor. A pergunta é: Como está o nosso relacionamento com Deus? Será que de alguma forma não estamos abandonando o primeiro amor?  Será que o Senhor Jesus tem algo contra nós? Quem se lembra do dia se converteu ao Senhor? Você amava Jesus de uma forma fervorosa, era envolvido na Sua obra, tinha prazer em ir aos cultos, orava mais, louvava  com dedicação, lia a Bíblia, falava de Jesus para as pessoas. Você era um exemplo de cristão.  Mas, e agora? Será que Jesus tem algo contra nós? Ele pode estar nos dizendo:  “Eu tenho uma coisa contra você. Deixaste o teu primeiro amor".  Muitos só vão à igreja quando sobra tempo, não fala mais de Jesus para as pessoas, nunca tem tempo para evangelizar, só anda muito ocupado e cansado. Se Jesus está em segundo plano na sua vida, VOCÊ ESFRIOU! E, a este abandono de amor pelo Senhor e pelas coisas de diz respeito ao Seu Reino, chamamos de QUEDA. Aí você diz, nossa, mas isso aqui pesou! Pesou mesmo, você não tem mais aquele relacionamento com Deus, você não tem mais aquela sinceridade do inicio, você foi se envolvendo com tantas coisas, mas não tem mais as obras do princípio que agradava ao Senhor. Você se perdeu. Você precisa ver onde caiu, com o que você se envolveu, onde você se perdeu; você cumpre com as regras, você está virando um religioso, cumpre com as regras mas não tem o primeiro amor. Você tem que voltar lá atrás e ver onde caiu e voltar a praticar as mesmas obras do início.
"Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras.

 “Se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas. Tens, contudo, a teu favor que odeias as obras dos Nicolaitas, as quais eu também odeio". (Ap 2.5-6)
Ele disse para o anjo da Igreja de Éfeso: Vou tirar a igreja das suas mãos. Como revelação para nós, Ele está dizendo: Vou tirar aquilo que lhe é mais importante, aquilo que está ocupando em seu coração o lugar que pertence a mim, o primeiro lugar. Faço isto para você não se perder.
Tenho ao teu favor que você não suporta aqueles que se diz passar por de Deus, você é contra estas coisas, mas você perdeu o primeiro amor.
Persevere igreja! Deus tem que ser o primeiro amor em nossas vidas. É a primeira ordem dos Mandamentos.
"Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento; e: Amarás o teu próximo como a ti mesmo." (Lucas 10.27)


CONCLUSÃO: Jesus conhece nossos corações e te diz neste momento: “Volte-se para mim outra vez, e trabalhe como fazia antes. Ore como antes, leia a bíblia como antes, evangelize como antes, Me ame como antes”.

terça-feira, 25 de março de 2014

A Vitória do Rei Josafá sobre Moabe e Amom. A força do Louvor!




Texto: 2 crônicas 20.1-30

O que você faria se de repente recebesse uma notícia que te deixasse amedrontado, angustiado e desesperado? Josafá, o rei de Judá, recebeu uma notícia através de seus servos, que o deixou atônito! Eles disseram ao rei que uma grande multidão estava vindo do outro lado do mar morto para pelejar contra ele. Eram três exércitos (moabitas, amonitas e meunitas) com seus reis para pelejar contra Judá. (Moabe e Amom, eram filhos de Ló com suas duas filhas, resultado do pecado de incesto).

Quando Josafá recebeu esta notícia, foi pego de surpresa, os exércitos já estavam próximos, então o rei  ficou alarmado e desesperado, não escondeu o  seu estado de espírito mesmo sendo rei e, ao invés de ir se queixar com alguém, ele teve uma decisão correta: consultar o Senhor. Josafá buscou o Deus de Israel e após receber a direção divina, ele convocou o povo (homens, mulheres, crianças  inclusive os de colo) para consagrarem suas vidas através da oração e jejum na casa do Senhor. Não ficou ninguém de fora.

É muito importante buscarmos a orientação que vem da parte de Deus para todas as tomadas de  decisões em nossas vidas. Humanamente falando, não havia saída para Judá. Estavam derrotados! Os inimigos eram bastante numerosos e tinham muita força. O rei Josafá teve medo quando soube que todo aquele exército estava reunido em Hazazom-Tamar para destruir Judá. (v. 3).
Ele sabia que não tinha força para vencê-los; e que os inimigos eram muito maiores do que ele e que não tinha exército suficiente para lutar. Humanamente falando, estavam derrotados! Então Josafá falou para Deus: "Não sabemos o que fazer, mas os nossos olhos se voltam para Ti". (v 12)

O Senhor respondeu para Josafá: " Não tenham medo, essa peleja não é de vocês, é minha". Mas o Senhor mandou que eles fizessem a parte deles; que eles fossem e enfrentasse o inimigo; que eles posicionassem e assim eles fizeram. O Senhor lançou um Espírito de vitória sobre eles e eles foram para a guerra LOUVANDO AO SENHOR e o inexplicável aconteceu; os três exércitos que estavam unidos para destruir Israel começaram a lutar entre eles mesmos e destruíram uns aos outros. A Bíblia diz que quando os homens de Judá foram para o lugar de onde se avista o deserto, viram somente cadáveres no chão; ninguém havia escapado; não sobrou um! (v24). Isso é poder de Deus! È Deus agindo em prol do Seu povo. A bênção de Deus não estava sobre os moabitas, os amonitas ou os meunitas; mas sim, sobre o povo de Israel. A bênção de Deus está sobre nós, e por isso somos mais do que vencedores.

O único trabalho que os israelitas tiveram, foi o de pegar os objetos de valor. Foram três dias catando os objetos e no quarto dia, eles já não tinham como carregar mais, pois era muita coisa, então eles louvaram e glorificaram o Senhor e saíram muitos abençoados e honrados.

Louve ao Senhor em meio às lutas! Não olhe para o tamanho do exército inimigo, olhe para o tamanho do poder de Deus.

domingo, 2 de março de 2014

Quem é o Meu Próximo?


Lucas 10.25-37

Jesus critica aqui a falsa religiosidade, a hipocrisia, a falsidade, o crente que vive de aparência. Na igreja ele é um crente que abraça, beija, diz que ama, dá a paz do Senhor, mas fora da igreja é uma capa de crente. Fora dos olhares dos líderes ele não passa de uma pessoa insensível que não está nem aí para os problemas alheios.

O sacerdote e o levita deveriam exercitar seu amor por alguém que precisava, já que tinham o conhecimento da vontade de Deus: "Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento .... e ... Ame o seu próximo como a si mesmo”. (Mt 22:37-39). Mas como ninguém estava olhando, ignoraram o Mandamento de Jesus, ignoraram o sofrimento daquele homem e desviaram o seu caminho passando para o outro lado da estrada deixando no chão o homem quase morto, mostrando com isso o quão distantes estavam de um relacionamento sério com Deus e também com o próximo. Esse sacerdote pode ser o pastor, o presbítero ou um outro líder da igreja que conhece a palavra mas não pratica.

Passou também naquela mesma estrada um samaritano. Aquele que ninguém dava nada por ele; o odiado, o ignorado, o desprezado pela sociedade, o que talvez não tivesse conhecimento da ordem dada por Jesus a respeito do amor, mas ele teve uma atitude surpreendente; muito diferente daquela que tiveram os servos do Senhor! Ele socorreu o homem ferido, enfaixou-lhe as feridas derramando sobre elas óleo e vinho, colocou-o sobre o seu animal, e o levou a uma hospedaria e ainda pagou para o hospedeiro para cuidar do homem até que ele voltasse de viagem. O samaritano dispensou para o homem ferido, cuidado, amor, misericórdia, tempo e até dinheiro sem nem ao menos conhecer aquele homem. Essa é a atitude que Jesus quer ver na vida daqueles que O servem: obras decorrentes da fé e do amor e da misericórdia.

Mas, quem são os samaritanos? Para entendermos quem são os samaritanos, precisamos voltar um pouco no tempo, especificamente, no tempo que é citado nos livros de 1 e 2 Reis. Sob o comando de Saul, e depois de Davi e de Salomão, Israel (as 12 tribos) permaneceu unida como um só povo, um só país. Após a morte de Salomão, porém, houve uma ruptura, e Israel se dividiu: 2 das 12 tribos formaram o reino do sul, também chamado de Judá, cuja capital instituída foi Jerusalém. As 10 tribos restantes formaram o reino do norte, também chamado de Israel, cuja capital instituída foi Samaria.

Os samaritanos são os habitantes da região de Samaria e descendentes dessas dez tribos. Sempre houve uma rivalidade muito grande entre esses dois reinos (Israel e Judá). Fato que fez com que as tribos que habitavam a região de Samaria se fechassem cada vez mais e cortassem relações com o restante do povo. O tempo foi decorrendo e as relações não melhoraram. Os samaritanos (habitantes da região de Samaria) criaram sua própria religião e costume e, pouco a pouco, foram excluindo-se da cultura judaica, formando a sua própria cultura.

Então Jesus perguntou para aquele que conhece da lei, da palavra, mas que é apenas um religioso: Qual destes três você acha que foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes? (v36)
Aquele que teve misericórdia dele, responde o perito na lei. (v37)


Conclusão: Deus está trabalhando para mudar o caráter dos seus filhos e sendo assim Jesus está nos dando uma ordem: VÁ E FAÇA O MESMO. (v38)

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Queixa, Murmuração, Crítica, Rebeldia; Até quando você quer permanecer no Deserto?


Então o povo começou a se queixar, falando o que era mau diante do SENHOR; e, quando o SENHOR o ouviu, sua ira se acendeu; e o fogo do SENHOR irrompeu entre eles e devastou as extremidades do acampamento.    
Então o povo clamou a Moisés, e este orou ao SENHOR. E o fogo se apagou. Por isso, aquele lugar foi chamado Taberá, porque o fogo do SENHOR se acendeu entre eles. Os estrangeiros que estavam no meio deles começaram a desejar muito certas comidas; e até os israelitas também voltaram a reclamar, dizendo: Quem nos dará carne para comer? Lembramo-nos dos peixes que comíamos de graça no Egito, e dos pepinos, dos melões, dos alhos porós, das cebolas e dos alhos. Mas agora o nosso ser definha; não temos nada, a não ser este maná diante dos nossos olhos. (Números 11.1-5)

O que aquele povo disse ara Deus que o deixou tão irado a ponto de mandar fogo do céu e consumir partes do acampamento deles? Que tipo de reclamação os israelitas fizeram?

“Assim partiram os filhos de Israel de Ramessés para Sucote, cerca de seiscentos mil a pé, somente de homens, sem contar os meninos. E subiu também com eles muita mistura de gente, e ovelhas, e bois, uma grande quantidade de gado”. (Êxodo 12:37-38)

Note que no versículo  4 e 5 de Números, os  hebreus foram influenciados pelos estrangeiros que não possuíam uma conexão pessoal com a promessa de Deus e, estavam cansados do maná, esquecendo-se de todas as razões pela qual haviam saído do Egito. Eles lembravam somente dos peixes, das cebolas e do alho que estavam disponíveis antes para eles no Egito; foi por isso que se rebelaram contra Deus: “Os estrangeiros que estavam no meio deles começaram a desejar certas comidas; e até os israelitas também voltaram a reclamar, dizendo: Quem nos dará carne para comer? Lembramo-nos dos peixes que comíamos de graça no Egito, e dos pepinos, dos melões, dos alhos porós, das cebolas e dos alhos. Mas agora o nosso ser definha; não temos nada, a não ser este maná diante dos nossos olhos”.

A saudade desses pepinos, melões, cebolas, alhos, etc, podem ser em outras palavras, acomodações dos problemas do passado e até mesmo problemas que se vive hoje, que por medo de tomar uma atitude ousada para viver coisas novas e desconhecidas, fazem com que as pessoas se submetam a viver no sofrimento do que mudar de vida e conquistar coisas novas.

 Israel era um povo que só criticava, reclamava e murmurava contra o Senhor. Quando estavam no Egito sendo explorados, castigados, humilhados e vivendo sob o domínio de uma grande escravidão; eles clamaram  e o Senhor os tirou de lá com mãos poderosas e grandes maravilhas e milagres! Agora estavam com saudades do Egito; do tempo de escravidão? Falaram que tinham saudades dos peixes, dos pepinos, melões, cebolas, alhos e alhos porós  que comiam no Egito como se vivessem no paraíso. Com certeza isso não foi agradável aos olhos do Senhor!

São onze dias de viagem desde Horebe, pelo caminho da montanha de Seir, até Cades-Barnéia. No ano quadragésimo, no mês undécimo, no primeiro dia do mês, Moisés falou aos filhos de Israel... O Senhor nosso Deus nos falou em Horebe, dizendo: Vocês já ficaram bastante tempo nesta . Levantem acampamento e avancem para a região montanhosa dos amorreus, e a todos os lugares vizinhos, na Arabá, na região montanhosa, no vale e no sul; à beira do mar, à terra dos cananeus, e ao Líbano, até o grande rio, o rio Eufrates.   Eis que tenho posto esta terra diante de vós; entrai e possuí a terra que o Senhor prometeu com juramento dar a vossos pais, Abraão, Isaque, e Jacó, a eles e à sua descendência depois deles.  
(Deuteronômio 1.1-8)

O deserto dos israelitas poderia ter durado 11 dias, mas por causa da rebeldia daquele povo, pereceram ali por 40 anos e somente 2 (dois) daqueles homens (Josué e Calebe),  todos os jovens com idade inferior a 20 anos, as mulheres e crianças entraram na terra prometida.
Quanto tempo você quer permanecer no deserto? O seu deserto pode durar apenas 11 dias ou menos; vai depender só de você.


CONCLUSÃO:  O Senhor manda você crer e avançar; sair desta mesmice, desta acomodação. E, se você ainda não entregou sua vida para Jesus, você ainda está vivendo sob o domínio da escravidão, mas se você já entregou sua vida para Cristo, você foi liberto por Ele, então não dê ouvidos para os estrangeiros (ímpios) e lute para não ter saudades do Egito; ou seja, da velha vida e dos velhos hábitos e costumes.  Caso venha te3r este sentimento, repreenda no nome de Jesus. Não deixe Satanás te iludir. Permaneça firme e não se submeta de novo ao jugo da escravidão!

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

A Inveja





 Um homem encontrou uma garrafa na qual vivia um gênio que tinha o poder de realizar todos os seus sonhos. O gênio saiu da garrafa onde estivera adormecido e lhe disse:
"Tenho o poder de transformar em realidade todos os seus sonhos, sem nenhum limite. É só você me contar o seu sonho, e ele acontecerá.
O homem começou então a pensar nas coisas maravilhosas que iria pedir: um corpo jovem, sem dores ou doenças, cheio de beleza, energia; casas nos lugares mais lindos das montanhas e das praias, com jardins maravilhosos; adegas onde se encontrariam os vinhos mais finos, cozinhas onde de fariam as mais deliciosas comidas; música, livros; amigos, amor... Ah! ele era um homem sábio e refinado e sabia das coisas que fazem a felicidade do ser humano. E assim os seus olhos iam tranquilamente passeando pelos seus sonhos, imaginando a felicidade ilimitada que iria gozar em alguns momentos.
Foi quando o gênio lhe disse: "Há apenas um detalhe que esqueci de mencionar, porque acho que é irrelevante. Tudo o que você tiver, o seu pior inimigo vai ter em dobro..."
Foi só o gênio falar e os olhos do homem mudaram: eles, que até então descansavam nas coisas que iriam fazê-lo feliz além de tudo o que imaginara, começaram o olhar para as coisas que seu inimigo iria ter.
E quando seus olhos voltaram para suas próprias coisas, aquelas mesmas que apenas um momento antes, o haviam feito o homem mais feliz do mundo, descobriu que todas elas, neste segundo em que seu olhar dançara, haviam apodrecido. A comparação é um verme que faz apodrecer o fruto delicioso que estávamos prestes a comer.
A inveja nos deixa de mãos vazias. É importante que se entenda isso para se compreender o fim da história. "Já sei o que quero pedir", disse o homem ao gênio, depois de longa meditação. "Pois faça o seu pedido", disse o gênio. "Me fure um olho..." - ele respondeu.

Autor: Rubens Alves

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Cuzcuz de Tapioca




INGREDIENTES:

500g de tapioca
1 coco seco descascado e ralado
5 copos (requeijão) de água fervente
2 copos (requeijão) de leite quente
1 xícara de açúcar
1 colher de café de sal
Leite condensado para jogar por cima do coco ralado na hora de servir

MODO DE FAZER:

Coloque a água para ferver com metade do coco ralado. Enquanto isso, misture a tapioca, o açúcar e o sal. Assim que a água ferver, jogue em cima da tapioca e mexa até ficar um creme bem grosso. Passe para o pirex que você irá servir.  Cubra e reserve até esfriar. Depois de frio adicione a outra metade do coco para decorar.

Sugestões: Pode ser feito também com coco ralado de saquinho, úmido e adoçado para misturar na água e o coco em flocos para decorar. 

Bolo em Camadas (DANETTE)






INGREDIENTES:

2 potes de Danette sabor chocolate ao leite
2 potes de Danette sabor chocolate branco
3 potes de Danette sabor chocolate meio amargo
3/4 de xícara (chá) de açúcar
4 ovos
3 colheres (sopa) de margarina
1 xícara (chá) de farinha de trigo
50 ml de leite
1 pitada de sal
1 colher (chá) de fermento em pó
100g de nozes picadas


MODO DE FAZER:

Na batedeira, bata o açúcar, os ovos e a margarina até ficar um creme. Acrescente a farinha de trigo, o leite, sal, e o fermento. Bata somente para misturar. Misture os potes de Danette chocolate branco com metade da massa e coloque tudo em uma forma untada e enfarinhada. Na outra metade da massa acrescente os potes de Danette chocolate ao leite e as nozes e misture bem com uma colher. Despeje a massa de chocolate ao leite por cima da massa de chocolate branca. Leve ao forno médio, pré-aquecido, por cerca de 30 minutos, ou ate enfiar um palito e sair limpo. 

PARA CALDA:

Coloque 1 colher (sopa) de açúcar, 3 potes de Danette chocolate meio amargo, 3 colheres (sopa) de leite. Leve ao fogo baixo até dissolver os ingredientes e regue o bolo. Se preferir, decore com nozes ou castanha de caju.

Seja Bem Vindo!

Seja bem vindo!
É um prazer ter você em meu blog. faça o seu comentário, deixe a sua mensagem.